PROMISSÓRIA

PROMISSÓRIA

 

          Um pai muito rico em amor e bens tinha dois filhos. Quando ambos atingiram a maioridade, o pai decidiu dividir a herança, passando a viver somente com sua aposentadoria, que era muitíssimo alta. O pai chamou os filhos para passar-lhes sua fortuna, dando-lhes a seguinte recomendação: “Consegui juntar estes bens com muito esforço, me custou muito, mas a vocês não está custando nada. Espero que saibam dar valor e fazer multiplicar. Uma única coisa lhes peço: Não deixem de repartir com quem precisa. Foi o que sempre fiz e isto não diminuiu minha riqueza, pelo contrário, me tornou ainda mais rico.”

          O filho mais velho, muito ambicioso e egoísta, aumentou sua fortuna não importando os meios: suborno, contrabando, sonegação, tráfico de drogas, oprimia e explorava as pessoas. Isto lhe custou muita perseguição por parte de seus inimigos e da polícia, levando-o à falência. O outro filho, apesar de um ano mais novo, era mais sábio e justo. Nunca esqueceu o conselho do velho pai e sempre ajudou a todos que cruzassem seu caminho, sem esperar nada em troca. E aos poucos foi enriquecendo mais.

          Então o pai chamou o filho mais novo e disse-lhe: Você já recebeu sua herança, mas minha aposentadoria é muito mais do que preciso para viver. Vou lhe passar mensalmente a maior parte do que ganho, pois vejo que tem tirado do que é seu para ajudar muitas pessoas.

O filho mais velho, ao saber da atitude do pai, foi procurá-lo. Arrogante, questionou: “Por que o senhor está dando grande parte do que recebe para meu irmão e não dá nada para mim? Isto é injusto! Bem que eu sempre achei que você ama muito mais a ele que a mim…”. Calmamente, o pai respondeu-lhe: “Meu filho, eu amo você tanto quanto ao seu irmão. A herança que entreguei a vocês lhes pertencia por direito e dividi igualmente. Mas o salário que recebo pertence a mim, e decidi premiar seu irmão pelo uso sábio que faz de tudo o que lhe dei, a atitude dele me traz prazer. Mas você tem usado mal o seu dinheiro, tem destruído a vida de outros e também a sua. Só poderei abençoá-lo mais, no dia em que se arrepender e mudar de vida, senão serei cúmplice de seus erros.”

         

          Assim também age nosso Pai Celeste conosco. A vida é uma rica herança que deu a todos igualmente. Porém aqueles que a usarem para fins egoístas e destrutivos se privarão de inúmeras bênçãos adicionais que o Pai deseja nos dar. Uma delas é o perdão. Por isso Jesus nos ensinou a orar: “Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores”, e explicou: “pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas” 1.

          Como Deus vai liberar sua paz e refrigério a um coração endurecido pelo ódio e envenenado pela amargura, porque continuamente se recusa perdoar alguém? Sim, o perdão de Deus é condicional, mas para o nosso próprio bem. Assim ele nos convence a mudar de atitude. Se alguém cometeu um erro contra você, então você possui uma promissória contra esta pessoa, guardada em seu coração. Não espere que a pessoa lhe peça perdão, talvez ela nem saiba que lhe magoou. Mas se o coração dela estiver endurecido não justifica o endurecimento do seu coração, porque “cada um dará conta de si mesmo a Deus” 2. Mesmo que a pessoa não se arrependa, Deus quer que a perdoe, pois o principal beneficiado será você ao se livrar de todos os efeitos colaterais deste veneno chamado mágoa ou ódio. Decida perdoar independente de seus sentimentos. Decida perdoar independentemente se a pessoa merece ou não, o perdão é um ato da graça, assim como Jesus na cruz liberou perdão à humanidade sem que o mereçamos. Peça a Deus e ele o capacitará a perdoar. Rasgue a promissória!

          E se foi você que magoou alguém, peça perdão, não adie mais este acerto onde você é devedor. Há quem pense que não adiantará pedir perdão porque não poderá voltar ao passado e consertar o erro. Isto é na verdade uma tentativa de proteger o ego, poupando-o de humilhar-se. Pedir perdão não é fácil, esmaga nosso orgulho. Mas é justamente esta sensação desagradável de vergonha ao admitir ter errado que nos servirá de desestímulo a errar de novo. A impunidade não estimula o arrependimento, que é fundamental no processo de mudança de atitudes. Se você tem dificuldade em arrepender-se é sinal de dureza de coração, o que só lhe afasta de Deus e quanto mais se afastar de Deus, mais ofenderá aos outros e atrairá ofensas contra você. “No que depender de vocês, tenham paz com todos os homens” 3.

 

1 Mateus 6:12,14,15

2 Romanos 14:12

3 Romanos 12:18

Um comentário sobre “PROMISSÓRIA

Os comentários estão desativados.