GRITO DO PLANETA TERRA

GRITO DO PLANETA TERRA  

(Vídeo:  https://youtu.be/6Dv7776YCf4)

Teatro sobre o cuidado com o meio ambiente e cidadania.

PERSONAGENS:

– Planeta Terra (menino dentro de uma grande bola de tecido azul com enchimento, com o mapa do mundo pintado. Pode-se usar também um globo de E.V.A. sustentado por uma armação de arame. Na cabeça uma toca de meia fina para parecer careca).

– Biloca (palhaça, usa peruca e roupas bem coloridas)

– Doutor Sabidão (usa jaleco branco, peruca e máscara de médico pendurada no pescoço, no bolso um bloco para anotações e caneta).

– Amor (menina com vestido branco esvoaçante ou de dama-de-honra. No vestido muitos corações vermelhos).

 

CENÁRIO: Uma cadeira.

MATERIAL: Um frasco borrifador de água atrás da cadeira.

MÚSICA: alegre

(Biloca entra pulando, dançando, brinca com a plateia, conta piadas de advinhas.)

BILOCA – Oooooiiii, genteeee! Como vai? Eu sou a Biloca! Eu estou muito feliz hoje, este dia está maravilhoso!        Que bom estar aqui com vocês!… Gosto de estar no meio de muita gente, de brincar, dançar… Ah! E gosto muito de brincar de adivinhar! Vou fazer algumas perguntas pra vocês, está bem? O que é, o que é… (faz algumas perguntas de adivinhação).

 

MÚSICA : pesada, muito triste.

(Quando a música triste começa, Biloca fica em suspense, pressentindo que algo ruim está para acontecer.)

BILOCA – Puxa vida… Eu estou com um sentimento estranho… De repente há um clima de tristeza aqui… Parece que vai acontecer alguma coisa… O que será?

(O Planeta Terra entra arrastando, gemendo, sofrendo muito e cai ao lado da cadeira.)

BILOCA – O que é isso? O que aconteceu moço?

(Ela ajuda-o a se levantar, ele está fraco, ela o assenta na cadeira.)

BILOCA – Moço… Senta aí, não desmaia não! Você me lembra alguém… Já te vi em algum lugar… Você é o… Você é o…

PLANETA TERRA – Sou a alma do Planeta Terra… Cof! Cof! (fala fraco e se coça muito).

BILOCA – Hã? Você é quem?

PLANETA TERRA – Sou a alma do Planeta Terra… Cof! Cof! (fala alto, sempre tossindo e coçando).

BILOCA – É isto! Sabia que eu te conhecia… (assusta) Hããã? Você é a Alma do planeta Terra?

PLANETA TERRA – Isso! Isso! Isso! (faz como o Chaves e desmaia)

BILOCA – Planeta! Acorda planeta!

PLANETA TERRA – Hã… Onde estou…

BILOCA – O que está acontecendo? Por que está tão fraco?

PLANETA TERRA – Vim procurar socorro… Estou muito mal… Cof! Cof! (se coça muito).

BILOCA – Você está muito doente mesmo!… O que está sentindo?

PLANETA TERRA – Aaaaiii… aaaaiii… Doutor, eu era grande e forte, agora estou pequeno e estou me sentindo fraco… muuuito fraco… cof! cof! E estou sentindo muita falta de ar… (respira com dificuldade) E estou todo empolado, cheio de feridas que coçam… E a minha pele está rachando… E estou ficando carecaaa… E também estou todo dolorido e com medo, muuuito medo… (Chora).

BILOCA – Creeeeedo! Acho que você morreu e se esqueceu de cair! Ô, coitadoooo! O seu caso tá muito, muito, muito complicado… E agora, quem poderá me ajudar?

SOM: sirene de ambulância (também pode ser feito com a boca pelo Doutor Sabidão, que entra correndo dirigindo carro imaginário).

SABIDÃO – Eeeeeuuu! O Dr. Sabidão! O que é que está acontecendo, minha filha? Onde dói? Você está muito amareeeela! Está Você ta mal mesmo… Está um bagaço, heim? (Biloca vai se sentindo mal à medida que ele fala).

BILOCA – Calma, doutor Sabão!

SABIDÃO – Dr. Sabão não! Dr. Sa-bi-dão!

BILOCA – Calma, doutor Sabidão! Não sou eu que estou doente, é ele… Você não está reconhecendo o meu amigo?

SABIDÃO – Eu o conheço de algum lugar…

BILOCA – Ele é muuuito famoso, ele é muuuito importante, ele é… (raspa a garganta e fala bem forte) A alma do Planeta Terra! Tcharaaaam!

SABIDÃO – Planeta Terra! Você está mal mesmo, heim… Está muito acabado… Está um bagaço, heim? Quem fez isso com você?

BILOCA – É melhor nem perguntar, Dr. Sabão! Sabe nada, inocente!

SABIDÃO – Pode falar tuuuudo o que você está sentindo, meu filho… (Pega bloco e caneta).

PLANETA TERRA – Aaaaiii… aaaaiii… Doutor, eu era grande e forte, agora estou pequeno e estou me sentindo fraco… muuuito fraco… cof! cof! E estou sentindo muita falta de ar… (respira com dificuldade) E estou todo empolado, cheio de feridas que coçam… E a minha pele está rachando… E também estou todo dolorido e com medo, muuuito medo… (Chora).

(O Doutor vai anotando e dizendo: “Huuummm”).

BILOCA – E está ficando carequinha, carequinha… Olha aqui, ó, aeroporto de pernilongo! Dzuuuum… (passa a mão na careca do Planeta).

SABIDÃO – Calma, calma! Vamos por partes! Vamos por partes!

BILOCA – (Leva o Doutor para o lado) Você vai esquartejar ele?

SABIDÃO – Não é nada disso! Eu quis dizer: Fala uma coisa de cada vez, meu filho!

PLANETA TERRA – Aaaaiii… aaaaiii… Doutor, Eu era grande e forte, agora estou pequeno e estou me sentindo fraco… muuuito fraco… cof! cof!

SABIDÃO – (Sempre põe a mão no queixo) Hummm… Seeei… Isto é sintoma de uma doença chamada Consumismo… Tem alguém consumindo toda a sua força e energia… Vou mandar investigar quem é…

BILOCA – Eu sei! Eu sei! (levanta o dedo, puxando o jaleco do Doutor).

DOUTOR – O que maaaais?

PLANETA TERRA – E estou sentindo falta de ar… (respira com dificuldade). Parece que meus pulmões estão diminuindo…

SABIDÃO – Hummm… Seeei… Isto é causado pela poluição do ar, tem muitas queimadas, muito fogo…

BILOCA – Fogo! Fogo! Apaga! Apaga! (pega um frasco de spray com água e esborrifa no Planeta, que se assusta, como se afogasse).

DOUTOR – Mas queeeem será que está provocando esta poluição do ar?

BILOCA – Eu sei! Eu sei! (levanta o dedo, puxando o jaleco).

DOUTOR – Vou mandar investigar! O que maaaais?

PLANETA TERRA – E estou todo empolado, cheio de feridas que coçam, coçam… (se coça todo).

DOUTOR – Hummmm… Seeei… (Biloca fala junto, imitando e andando atrás do Doutor: Hummm… Seeei…)  Isto é sintoma de intoxicação… Há muito lixo em você, muita sujeira!

BILOCA – Hummm… Cheiroso… (tampa o nariz e abana). O que? Sujeira? Tem que lavar! (pega um frasco de spray com água e esborrifa no Planeta, que se assusta, como se afogasse).

DOUTOR – E quem é o irresponsável que está te sujando tanto assim?

BILOCA – Agora eu vou falar! Eu sei! Eu sei! (levanta o dedo, puxando o jaleco).

DOUTOR – Vou mandar investigar! O que maaaais?

PLANETA TERRA – E minha pele está rachando, está toda trincada… E estou ficando careeeeca…

DOUTOR – Hummm… Seeei… (Biloca fala junto, imitando: Hummm… Seeei…) Isto é sinal de desidratação causada pelo desmatamento… (passa a mão na careca do Planeta) Precisa de muuuuita água…

BILOCA – Água!

PLANETA TERRA – De novo?

BILOCA – Água! Água! (faz como que vai jogar) Mas agora é pra beber! Abre a boquinhaaaa…

PLANETA TERRA – Ainda bem! Aaaah… Que delíciaaaa… Quero mais! Me dá mais águaaaa…

BILOCA – Agora chega, tem que economizar!

DOUTOR – E queeem está acabando com a sua água?

BILOCA – Eu seeeei… Eu seeeei… (desta vez fala arrastado, cansada, sacudindo o jaleco lentamente).

DOUTOR – Vou mandar investigar! O que maaaais?

PLANETA TERRA – E também estou todo dolorido e com medo, muito medo…

DOUTOR – Hummm… Seeei… (Biloca fala junto, imitando: Hummm… Seeei…) Isto é sintoma de agressão! Tem muita guerra, muita violência neste Planeta!

PLANETA TERRA – Paaaz… Eu quero paaaz! Eu preciso de paz!

DOUTOR – E agora? Qual remédio eu receitarei para o meu pobre paciente? Na farmácia não vende cidadania e nem paz! Não sei o que fazer!

BILOCA – Eu sei, Doutor! Eu te disse que eu sei! Não existe paz sem amor! E onde há amor, há respeito ao próximo e também respeito pela moradia das pessoas, que é o meio ambiente! E quando há respeito pelo direito dos outros as pessoas pensam no bem estar e na saúde da comunidade antes de construir uma fábrica, antes de mexer nas matas ou fazer qualquer outra coisa. O Planeta precisa ser amado! As pessoas precisam amar e serem amadas!

PLANETA TERRA – Amooor… Eu quero amor! Eu preciso de muito amor!

 

MÚSICA: “Todo mundo”, Carrossel 2012.

Entra a menina AMOR e dança por um tempo. Durante a música ela faz o símbolo do coração ajuntando as mãos e põe no peito da Biloca, do Doutor, e depois do Planeta. Todos estavam tristes e se sentem melhor, Biloca e o Doutor ajudam o Planeta a se levantar.

Abaixar um pouco a música enquanto o AMOR fala:

 

AMOR – Assim como não existe paz sem amor, não há amor sem Deus! O apóstolo Paulo disse que

“… se eu não tiver amor, nada serei.

O amor é paciente, o amor é bondoso.

Não inveja, não se gloria, não se orgulha.

Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.

O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca acaba;

Permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor.

O maior deles, porém, é o amor!”

 

Aumentar a música, enquanto todos abraçam o Planeta e cantam de mãos dadas.

 

FIM

Todo Mundo Carrossel (2012)

 

Todo mundo quer um sonho
Muito mais que um desejo
Todo mundo quer um abraço
Todo mundo quer um beijo

Todo mundo quer um amigo
Amizade verdadeira
Todo mundo quer um sorriso
Pra levar a vida inteira

Todo mundo quer o mundo
Embrulhado pra presente
Todo mundo quer o sol, o dia e a luz
Aqui com a gente

Todo mundo quer ter tanto
Tudo que tiver vontade
Todo mundo se esquece que essa tal felicidade
Ta na paz, no amor e na simplicidade
Ta na paz, no amor e na simplicidade